RÁDIO BITURY

Postagem em destaque

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL NO AR COQUETEL MOLOTOV 2016 - ETAPA BELO JARDIM

Apresentado pelo Instituto Conceição Moura, o festival No Ar Coquetel Molotov chega ao seu segundo ano na cidade de Belo Jardim, tra...

EVENTO; AEB - FBJ

EVENTO; AEB - FBJ

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

“Você nomeia secretário, mas ninguém nomeia governador. Governador quem elege é o povo”, afirma Armando Monteiro

Recife – Pré-candidato a governador, o senador Armando Monteiro (PTB) tem certeza de que o fundamental no debate eleitoral no Estado, em 14, é discutir os desafios do desenvolvimento de Pernambuco nos próximos anos. “Precisamos olhar para o futuro do nosso Estado, ter um debate sobre os problemas, os desafios e as potencialidades”, afirmou Armando, durante entrevista ao programa de Geraldo Freire, na Rádio Jornal, no Recife, nesta segunda-feira (24).
O senador falou também sobre a formação do palanque de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff em Pernambuco, sobre o processo de escolha do candidato adversário e o precário debate entre a necessidade de um perfil técnico ou político. “O fundamental nesse processo é que se possa aliar experiência, capacidade de articulação e um sentido de direção. Outra questão também muito importante é a capacidade de caminhar com as próprias pernas, ter um sentido de independência, que é tão importante e algo tão caro a Pernambuco”, acrescentou.
Veja abaixo os principais trechos da entrevista:
A construção da aliança ao governo
Armando Monteiro – “Eu estou construindo no nosso campo aquelas alianças, evidentemente que o parceiro preferencial é o PT, e isso caminha muito bem pelo calendário que foi estabelecido aqui pela direção nacional e regional do PTB. Portanto, nós aguardamos com muita tranquilidade que esse processo se conclua agora em março, e tenho recebido manifestações já muito positivas de lideranças do partido em Pernambuco. Tenho mantido contato também com outras legendas, com outros partidos, para que a gente possa concluir esses entendimentos e oferecer um expressivo leque de alianças para fortalecer esse projeto”.
Um palanque forte para a reeleição da presidente Dilma
Armando Monteiro – “Tenho a impressão que nós vamos ter aí surpresas nesse processo. Quero lembrar que as convenções só ocorrem em junho, ou seja, as alianças só são formalizadas em junho. Portanto, há muito ainda o que acontecer pela frente. Portanto, continuamos ainda muito tranquilos dentro desse calendário que foi estabelecido, conversando com todas as legendas, preferencialmente as legendas do nosso campo. Quando eu digo as do nosso campo são aquelas que estão alinhadas ao campo nacional com a candidatura da presidente Dilma. Portanto, vamos aí concluir esse processo, de modo a que tenhamos um amplo leque de alianças e uma chapa forte porque o nosso compromisso aqui, fundamentalmente, é fazer esse palanque da reeleição da presidente Dilma”.
Experiência política x perfil técnico
Armando Monteiro – “Eu acho esse debate precário. Acho que você tem aí um debate sobre Pernambuco, sobre os problemas, os desafios, as potencialidades, olhando para o futuro de Pernambuco. Evidentemente que aquele candidato que tem experiência politica, que já tem uma visão do processo politico e que ao mesmo tempo valoriza o processo técnico, porque hoje as escolhas, as decisões políticas têm que ser informadas tecnicamente, portanto, o fundamental nesse processo é que se possa aliar experiência, capacidade de articulação e um sentido de direção. Porque o político é aquele que sabe, em determinadas circunstâncias, definir prioridades e aliar a essa experiência sensibilidade. E acho ainda que há uma questão também muito importante, que é a capacidade de caminhar com as próprias pernas, ter um sentido de independência que é tão importante e algo tão caro a Pernambuco”.
O sr. diz então que o outro candidato é um poste?
Armando Monteiro – “Não, eu não digo isso. Eu tenho respeito pelas pessoas e esse processo que culminou com a indicação é um processo que foi acompanhado por vocês, que, em última instância, indicou que não havia uma candidatura natural nesse campo. Tanto que se assistiu a um processo curioso em que havia exposição de nomes, frituras, vetos. Mas isso não importa! O que importa é que ao final essa escolha foi definida e, a partir de agora, definidas as pré-candidaturas e confirmadas nas convenções, esse crivo muda. Não é mais um grupo fechado, não é mais um processo que se dá dentro de um grupo. Aí, sim, nós temos que ter um crivo da opinião pública, porque é ela que vai efetivamente fazer um julgamento da habilitação do candidato. Portanto, aí, esse outro campo, é um campo essencialmente democrático. E aí só o debate, o contraditório, a discussão das questões de Pernambuco é que ao final vão orientar esse processo. Eu quero dizer é que você nomeia secretário, mas ninguém nomeia governador. Governador quem elege é o povo”.
Sobre a política econômica

Armando Monteiro – “O importante é que a presidente Dilma tem dado sinais da disposição de conter as pressões inflacionárias. Tem fatores climáticos, tem fatores sazonais, mas o fato é o seguinte: ela não tem medido esforços para combater. Veja que a taxa de juros vem sendo elevada praticamente há seis meses, exatamente para conter as pressões inflacionárias. Mesmo não sendo simpático aumentar os juros, ela tem feito isso, é um remédio duro, mas que precisa ser utilizado. Porque o pior dos cenários é o que você indicou, é o povo sentir que vai perdendo o poder de compra porque os bens ficam mais caros e evidentemente a renda real do trabalhador diminui. Por outro lado, o governo anunciou agora um programa de redução de gastos, de despesas, corte no orçamento. Então, acho que o efeito combinado desses cortes, da política fiscal, com esse aperto que foi dado na política monetária, tudo isso vai garantir que tenhamos um quadro de inflação absolutamente controlado. E que a inflação possa ceder mais e mais. Portanto, esse é o compromisso fundamental da presidente Dilma. Porque, ao longo de todo governo dela, os trabalhadores tiveram ganhos reais, ou seja, os ganhos ficaram acima da inflação. Portanto, ela não irá permitir que a inflação termine por confiscar ou diminuir a renda do trabalhador. Esse é um compromisso fundamental”.

Crédito da foto: Alexandre Albuquerque/divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário