RÁDIO BITURY

Postagem em destaque

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL NO AR COQUETEL MOLOTOV 2016 - ETAPA BELO JARDIM

Apresentado pelo Instituto Conceição Moura, o festival No Ar Coquetel Molotov chega ao seu segundo ano na cidade de Belo Jardim, tra...

EVENTO; AEB - FBJ

EVENTO; AEB - FBJ

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Derrubada do veto 47 "Paralisa Congresso Nacional, luta dos pernambucanos em destaque!

Zé Augusto Maia honrou a tradição de luta dos pernambucanos

O dia e a noite de ontem foram históricos para a democracia do país, onde o Congresso Nacional deixou claro que derrubará o veto presidencial 47 da Presidência da República, onde pela primeira vez o voto aberto mostrará quem é quem nos reais interesses do povo brasileiro.
O veto 47, se refere ao projeto que cria, funde, desmembra e incorpora municípios no país. O PLP 416 mexeu com a Câmara dos Deputados e com o Senado, sendo aprovado depois de desgastantes discussões sobre o tema, observando-se os critérios rígidos para por fim, a chamada “Farra” da criação de municípios do país, que em épocas passadas trouxe prejuízos para a nação.

Hoje com a participação do próprio governo federal na observância dos interesses que garantem a integridade do território nacional, o projeto foi aprovado por maioria esmagadora pelo Congresso Nacional.
O veto presidencial 47 que está para cair é um grande equívoco da Presidente da República, entendimento este da maioria dos partidos, inclusive da base governista.
Em todos os capítulos desta história de lutas que ganhou dimensão nacional, tem a assinatura e a participação efetiva do deputado pernambucano José Augusto Maia.
Foi José Augusto Maia que teve a coragem de desengavetar um projeto tido como impossível e fadado ao fracasso, e que mofava nas gavetas há 12 anos. Quem teria a coragem entre os 513 deputados de reabrir uma discussão para criar novos municípios no país? José Augusto Maia teve.
No inicio da luta, o projeto contava com minguadas 12 assinaturas. O deputado criou e comandou uma Frente Parlamentar para encarar o assunto e peregrinou de gabinete e em gabinete, explicando que o projeto passaria por ampla discussão para criação de novas regras. O trabalho de formiguinha ganhou aliados vindos de todos os recantos do país, os chamados emancipacionistas, além de outros “loucos” parlamentares. A frente saiu de 12 para mais de 320 assinaturas. Era o poder do convencimento, da argumentação e da articulação política de um pernambucano e tantos outros com representatividade em diversas regiões do país, que passava a funcionar.
Incontáveis reuniões com representantes do governo federal, comissões, lideranças, partidos e com as bancadas governistas e oposicionistas exauriram o tema para se chegar aos critérios que colocaram fim as duvidas. A PLP 416 atendeu os interesses de todos, e garantiu a milhares de brasileiros de regiões esquecidas o direito de volta a sonhar com sua liberdade.
“Zé Augusto” ganhou reconhecimento e visibilidade nos rincões brasileiros, e homens e mulheres das regiões brasileiras ganharam um aliado corajoso e brigão, que usou como arma aa argumentação.
Nomes importantes do cenário político brasileiro, oriundos de partidos da base governista e da oposição, passaram a conhecer um pernambucano que é estreante na Câmara dos Deputados. José Augusto Maia honrou a tradição de luta do povo pernambucano, dedicando seu primeiro mandato a uma causa considerada por quase todos como impossível.
A bandeira empunhada pelo parlamentar saiu da escuridão e ganhou luz, deixou de ser preta e branca para ganhar as cores da nação, saiu do esquecimento para ganhar visibilidade e agora caminha para ser erguida em lugar mais alto, onde todos poderão olhar e ver que quando um sonho ganha sonhadores, o impossível pode torna-se possível.
Brasília, às 7hs da manhã do dia 19 de fevereiro de 2014.

Marcondes Moreno direto de Brasilia.

Derrubada do veto 47 "Paralisa Congresso Nacional

Estratégia para combater “manobra suja do governo Dilma” obstrui pauta do Congresso Nacional

Brasília- A novela da criação de novos municípios irá continuar, e a derrubada ou não do veto presidencial 47, ficará par outra oportunidade evitando uma derrota dos emancipacionistas de todo Brasil que vieram hoje para a capital federal.
Por falta de quórum no Senado, numa estratégia do governo, os congressistas que derrubariam o veto, usaram também de uma estratégia para não sair derrotados nesta noite. A ação foi taxada de manobra sórdida do governo Dilma.
Como o voto agora é aberto, os senadores que não compareceram para evitar a derrubada do veto, teriam seus nomes divulgados.
O congresso deu sinais que teria número suficiente para derrubar o veto, e vários partidos da base aliada se manifestaram a favor da derrubada do veto. A maioria absoluta dos deputados votaria contra o governo.
Diante dos olhos perplexos dos emancipacionistas, os senadores por orientação do governo, atenderam uma manobra e poucos corajosamente compareceram para expressar seus votos. Seriam necessários de 41 votos pela derrubada.
Diante da eminente derrota, os deputados entraram e conseguiram um requerimento do senador Mário Couto-PSDB-PA, pedindo o adiamento, derrubando a sessão.
Os seguintes partidos votaram a favor da obstrução da sessão:

PT/PMDB/PP/PROS/PSDB/PSD/PR/DEM/SDD/PDT/PRB/PV/
PSOL/PMN/PPS

Sulanca News

Nenhum comentário:

Postar um comentário