RÁDIO BITURY

Postagem em destaque

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL NO AR COQUETEL MOLOTOV 2016 - ETAPA BELO JARDIM

Apresentado pelo Instituto Conceição Moura, o festival No Ar Coquetel Molotov chega ao seu segundo ano na cidade de Belo Jardim, tra...

EVENTO; AEB - FBJ

EVENTO; AEB - FBJ

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Ricardo Noblat no 2° BloggerPE falou que a Reeleição de Dilma dependerá dos rumos da economia brasileira.

Um dos grandes momentos do II Encontro de Blogueiros de Pernambuco, concluído neste domingo, no Recife, foi a palestra do jornalista pernambucano radicado em Brasília Ricardo Noblat. O profissional, que começou a sua atividade trabalhando na Veneza Brasileira, passou por São Paulo e hoje trabalha no Centro do Poder Federal, prendeu inteiramente a atenção dos presentes ao Hotel Atlante Plaza e fez todo mundo interagir e fazer dezenas de perguntas.


Noblat surpreendeu pela simplicidade e o bom humor, terminando por dá lições importantes de política e jornalismo aos que trabalham com rádio, jornal impresso e mídia de conteúdo digital em Pernambuco.

Ele iniciou confessando que ingressou na Blogosfera por acaso, iniciou seu trabalho pela internet em 2004 e só dois anos depois aprendeu a postar uma fotografia ilustrando o texto.

"Na verdade eu me tornei blogueiro porque fiquei desempregado do Correio Brasiliense e recebi a sugestão de um amigo", complementou, admitindo que não tinha a maior intimidade com computadores.

Hoje o jornalista tem um dos blogs mais visitados e respeitados do Brasil, está hospedado no site do jornal O Globo e não precisa correr atrás de anúncios, pois a Empresa da família Marinho lhe paga muito bem pela atividade.

O jornalista Magno Martins, também blogueiro e que tem uma coluna na Folha de Pernambuco, fez alguns comentários sobre a palestra de Ricardo Noblat, demonstrando admiração pela postura do profissional pernambucano. "Eu imaginei que Noblat fosse o top de linha e entendesse tudo sobre as ferramentas usadas na internet", observou o mediador

POLÍTICA - Magno estranhou também que na sua explanação o colega praticamente não falou de política, já que é tido como um dos principais jornalistas do país nesta área. Noblat disse que não tinha entrado nesse terreno por falta de questionamento e se mostrou aberto a comentar os assuntos de Brasília e de Pernambuco, envolvendo deputados, o governador Eduardo Campos (PSB) e os possíveis candidatos a presidente da República.

Na sequência, provocado pelos presentes, opinou que Eduardo já avançou muito e dificilmente desistirá do projeto de disputar a sucessão de Dilma Roussef. "O governador é candidato e trabalha para vencer a eleição", afirmou o jornalista, embora admita que o socialista fique de fora da disputa do segundo turno, se projetando nacionalmente para 2018.

"Caso ele tenha uma votação semelhante à de Marina Silva em 2010 ficará fortalecido", ponderou o colunista de O Globo.

Um dos blogueiros presentes perguntou se Eduardo Campos estava mais forte de que o senador Aécio Neves (PSDB) para a futura disputa presidencial. O jornalista opinou que hoje o tucano ainda tem mais cacife por ser de Minas Gerais - o segundo maior colégio eleitoral do Brasil - e também pela maior estrutura do seu partido. "O governador de Pernambuco poderá até se tornar mais forte em 2014, porém por enquanto Aécio ainda está na vantagem", frisou.

Ricardo Noblat foi crítico em relação ao PT, a Dilma e Lula, embora tenha reconhecidos que os dois são fortes eleitoralmente. Na sua avaliação, a petista será imbatível, no próximo ano, se a economia caminhar bem. Caso contrário, a população pode se voltar para a oposição.

Quanto à política pernambucana, o blogueiro acredita que Armando Monteiro só terá o apoio de Eduardo Campos como candidato a governador, se o PTB nacional estiver no palanque socialista no plano nacional.

Ele enfatizou mais de uma vez que no final das contas tudo dependerá dos rumos da economia brasileira.

 revelou que tem o apoio do filho, produtor do CQC, Guga Noblat .Noblat começou a escrever por sugestão de outro jornalista, André Falcão, ao reclamar que suas notícias para O Dia “envelheciam rapidamente”.
Quando começou, ainda não havia blog de política. 

Iniciou no Jornal O Dia e saiu depois de uma mudança na sua Direção. Noblat afirmou que seu rótulo de petista em um momento da carreira surgiu por críticas do então governador Joaquim Roriz. Hoje, diz que o termômetro da imparcialidade é quando é questionado por petistas e tucanos. “Me preocupa quando apanho de um lado só...”

Começou a ter o blog como ferramenta de trabalho e renda quando, verificando sua audiência, percebeu que teve 152 mil visitantes únicos em um mês. “Nunca me passou pela cabeça que poderia cobrar pra ficar hospedado no IG”. Sobre a decisão de receber pagamento do veículo para hospedar seu blog e não buscar anunciantes, diz preferir assim. “É complicado escrever e cobrar dos anunciantes, que depois reclamam parcialidade”.

Depois do IG, ficou um ano no Estadão e foi para O Globo. Hoje, explora muito Twitter, Facebook e Instagram. O que virá por ai nas páginas sociais , ele diz não saber. “Sou um mero jornalista que desviou-se do seu ninho e virou um blogueiro. Se o face cairá como o Orkut, não sei”. Fez a cobertura do julgamento do mensalão via Twitter, dizendo que “a batalha do furo é travada na rede social hoje”.

Respondendo pergunta de Giovani Sá (Farol de Notícias) disse que a nova geração não vai querer mais ler jornais impressos, fadados ao fim. Como vão ler coisas que eu já sei? O que impede jornais de investir em assuntos novos?. Nada, a não ser preguiça.
Simpático, atendeu carinhosamente todos os profissionais que o abordaram para fotos, tietagem, sugestões e afins...

O jornalista Magno Martins mediu o debate. Destacou que, assim como Noblat, veio do impresso, sem preocupação como hoje de ser escravo da notícia. Entrei na blogosfera por sua causa”, revelou. Destacou a quantidade de blogs em Afogados da Ingazeira e em Pernambuco.

2014 : Noblat disse acreditar que Aécio Neves tem muito mais chance que Eduardo Campos hoje, por ter sido governador de Minas, colégio eleitoral maior,  por ter penetração no Rio, por ter um partido maior que o PSB.
 “Se durante a campanha será ou não é outra história”, disse. “Eduardo trabalha com um tempo em torno de seis minutos de guia, que seria interessante no seu projeto. Mas neste momento Aécio é disparadamente mais forte”.
Informações de Roberto Almeida, Junior Fifa adaptação do Blog Jardim do Agreste

Nenhum comentário:

Postar um comentário